segunda-feira, agosto 25, 2008

Constant gardener

Hoje estava a ler o DN-online quando li isto, e fiquei horrorizada. Uma coisa é saber-se que isso se faz um pouco por todo o mundo, outra coisa é esse facto ser noticiado! Conseguem imaginar a amplitude da coisa para ter vindo a público?

E fiquei tanto mais horrorizada porque leio isto calmamente num jornal diário e não vejo ninguém horrorizar-se, ninguém ficar indignado. Estamos todos tão alienados que já não fazemos nada?

Para quem quiser um relato mais moderado da coisa, assim para o romanceado, veja o filme Constant Gardener de Fernando Meireles, ou leia o livro de John Le Carré.

Quando foi que nos deixámos de importar com Direitos Humanos? Quando foi que as nossas Universidades e os estudantes deste mundo deixaram de se importar com mudar o mundo para melhor? Quando foi que deixámos de ser utópicos e de acreditar que podiamos construir um mundo melhor?

Sinto a falta dessa estupidez. Os adolescentes podiam ser utópicos e estúpidos, mas ao menos antes de serem corrompidos pelo sistema faziam realmente qualquer coisa por aquilo em que acreditavam.

E tenho vergonha. Por mim organizava já um boicote às farmacêuticas que estiveram envolvidas nesses testes vergonhosos, se não soubessemos todos que todas elas têm as mãos sujas de sangue!

Todos temos responsabilidade pelos nossos actos, assim como por aquilo que sabemos. Se não fizermos nada estaremos a pactuar com actos criminosos.

A nossa esfera de alcance pode não ser grande, mas todos somos jardineiros das nossas vidas, semeamos as sementes do que mais tarde iremos recolher.

Escolher países do terceiro mundo para se testar medicamentos perigosos porque é economicamente viável não é sustentável com os Direitos que reconhecemos a qualquer ser humano, é eticamente reprovável e é crime!

Estes laboratórios (Roche e Novartis da Suiça e Sankyo Pharma do Japão) estão na minha lista negra. Shame on you!

11 comentários:

Maria disse...

Como sempre querida Med um excelente post. Primeiro fiquei horrorizada, ao princípio pensei tratar-se de um país africano, agora Índia!!!! Não estava à espera...mas estes actos além de condenáveis, são vergonhosos!!! Quanto à juventude dos dias de hoje, acho que já bati muita nessa tecla e lamento que muita da culpa seja da educação.
O filme adorei, até hoje sempre que me lembro da história, arrepio-me, o livro sou capaz de o comprar, nem que seja para o comparar.
Beijinhos

marta disse...

A nossa alienação é a causa de tudo isto. Preferimos continuar todos de olhos fechados, para não termos que fazer nada. Fingimos sempre que nada acontece ou que o que acontece é inevitável. E abandonamo-nos à modorra. E pactuamos com a grande lógica mundial do poder e do dinheiro e da mentira. Afinal, é muito mais cómodo, não é?

Não são só os testes farmacêuticos. São os prisioneiros de guerras de mentira, são as torturas legalizadas, são as páticas de dumping, são as tradições de mutilação genital, são os direitos das mulheres, a pena de morte. A lista não tem fim. Causas há muitas. Falta é a vontade.

Devíamos todos ter vergonha...

*****

Anónimo disse...

"hoje em dia as revoluções são muito de mansinho já ninguém tem culhões para andar um mês a levar no focinho"
Tu sabes do que eu estou a falar! A culpa é da playstation...

Alex disse...

Estou contigo, minha querida.
Viver em modo "sofá" dá menos trabalho.
Beijinho.

Paulo disse...

ei, ei, mas isto está a ganhar contornos macabros. com que então já se testam os bebés... que desumanidade, melhor: que barbaridade. não fazia ideia que as farmacêuticas estavam assim tão avançadas na falta de escrúpulos. lamentável, de facto. quanto aos novos, concordo com o moribundo: é muita playstation (e alienação)!

Rita disse...

E de que vale tu e eu e mais meia dúzia de pessoas que leram a notícia boicotarem as tais farmacêuticas, achas que elas vão dar por isso?
Jokas

Rita disse...

E se tu ou alguém que tu estimes estiver muito doente e a depender de um medicamento exclusivo de uma dessas farmacêuticas? Eles têm a faca e o queijo na mão...
Jokas

Maga disse...

medusasss dear, pois estava tão bem de férias, chego aqui e deparo-me com a triste realidade... é de facto mais fácil enterrar a cabeça na areia.
aflige-me mais as 4142 cobaias que as 49 mortes, no entanto pergunto-me, ingénua que sou, teriam morrido mais se não fossem esses mesmos testes?
beijoca!

shark disse...

Um dia, esse Terceiro Mundo ajustará contas.
E quem cruzou os braços receberá a respectiva factura.

medusasss disse...

Maria, o livro completa o filme. Não tens o poder mágico da película, que nos deixa sem respiração com aquelas imagens magníficas, nem tem o poder visual daqueles bairros, daquelas pessoas, daquelas crianças... mas faz a ligação entre muitos factos que no filme parecem um bocado desconexos.
Quanto aos testes: aproveitarem-se da miséria dos outros é tão deplorável em África como na Índia, mas bebés? É isso que me custa mais a entender! A vida de um bebé vale menos que a de um adulto? É ainda mais barato testar medicamentos altamente tóxicos em bebés?
Fiquei horrorizada com toda esta história, e fico tanto pior porque não sei o que fazer para mudar o estado das coisas. Enfim, c'est la vie, que c'est une pute!
***

Marta, tanta coisa para mudar e tanta falta de vontade!
E mais, há aqueles que não querem ver, e há, cada vez mais, aqueles que vêem e acham normal.
Acho muito perigosa esta globalização da desgraça e consequente irresponsabilização.
***

Moribundo, é a playstation e é também o egoismo de se viver para as aparências, com um telemóvel que custa €500 a esgotar-se nas primeiras horas, e o país sobre-endividado.
***

Alex, viver no modo sofá é sem qualquer dúvida muito mais fácil. Então com o tipo de vida a que nos estamos a habituar, com facilidades de crédito, etc, etc, etc... Se pagarem o que devem já é muito bom!
***

Paulo, é absolutamente vergonhoso! Só de pensar nisso fico arrepiada.
***

Rita, essas farmacêuticas vendem muitos produtos, desde pomadas para as queimaduras a comprimidos milagrosos para o cancro, sida ou doenças cárdiovasculares.

E esses produtos também lhes dão uma margem de lucro jeitosa, quando falei em boicote não pedia, obviamente, a ninguém que se deixasse morrer para não usar o medicamente em causa.

E quando critiquei este modus operandi, é justamente porque existem maneiras mais seguras de se fazer estes tão necessários testes: maneiras mais seguras, mais controladas, e sem violar direitos humanos.

O problema é a sede do lucro fácil e rápido que instiga essas farmacêuticas a procurarem mercados económica e socialmente débeis para testarem os seus medicamentos de vanguarda!
Uma vergonha...
***

Maga, os fins não justificam os meios. Não pode ser assim!
Repara, mesmo que com as mortes destas crianças se tenha conseguido melhorar o medicamento e assim salvas as vidas daqueles que posteriormente o irão utilizar, esses resultados também seriam possíveis sem estas mortes: possíveis mas mais caros!

E outro pequeno pormenor: um dos medicamentos em teste é para uma doença cardíaca rara...
***

Shark, não sei quando é que esse dia vai chegar... mas já vemos isso nos petro-doláres. Depois de décadas de humilhação por parte dos impérios britânico e posteriormente americano, com as suas difusas ideias de Estado, Nação, democracia e direitos humanos, sabemos hoje que quem controla economicamente grande parte do mundo são empresas detidas maioritariamente por famílias sauditas. É só ver o dinheiro a entrar!
***

Mokas disse...

poix... é grave. e isto é apenas o que conseguimos saber. agora imagina o resto.